Deco

Amianto de escola em Rio Maior foi retirado em agosto

Amianto de escola em Rio Maior foi retirado em agosto

A presidente da Câmara de Rio Maior manifestou o seu "desagrado" pela divulgação do estudo da Deco que refere a existência de placas danificadas de amianto na Escola Fernando Casimiro, situação resolvida em agosto passado.

"Lamento que a Deco tenha divulgado o resultado de um estudo realizado há um ano sem ter tido o cuidado de perguntar se a situação se mantinha", disse Isaura Morais à agência Lusa.

A presidente da Câmara Municipal de Rio Maior afirmou que os especialistas da associação de defesa do consumidor estiveram no Agrupamento de Escolas Fernando Casimiro da Silva no início do ano letivo transato, tendo apenas realizado as medições sem darem qualquer tipo de indicação.

Segundo Isaura Morais, a retirada do amianto, que decorreu no passado mês de agosto, foi iniciativa do município de Rio Maior, estando a situação resolvida quando o agrupamento recebeu, há duas semanas, o resultado do estudo da Deco. "Lamento que, neste caso, a Deco seja parte do problema em vez de fazer parte da solução", declarou.

"A questão da qualidade do ar, se o problema era do amianto, está ultrapassada", afirmou, sublinhando que se a questão se prende com o facto de as salas serem pequenas para turmas que são grandes isso decorre não da vontade das escolas mas de uma imposição do Ministério da Educação.

O estudo da Deco indica que o ar de 23 escolas tem má qualidade, sendo que todos os estabelecimentos de ensino apresentaram níveis de poluentes superiores aos admitidos e placas de amianto danificadas em quatro, entre as quais a escola Fernando Casimiro da Silva, em Rio Maior.