Sociedade

Bloco exige que nenhum professor seja prejudicado

Bloco exige que nenhum professor seja prejudicado

O líder parlamentar do BE exigiu, esta sexta-feira, que o Governo "cumpra a palavra" e que nenhum professor seja prejudicado pelo erro do ministério na colocação de professores, afirmando que 150 docentes perderam o lugar.

"O Governo disse que nenhum professor e nenhum aluno seria prejudicado. E não está a cumprir a sua palavra", afirmou Pedro Filipe Soares, sublinhando que 150 professores que tinham sido colocados perderam o lugar na nova lista.

Em declarações à Lusa, o deputado manifestou "perplexidade pela trapalhada" que disse continuar e exigiu que o ministério da Educação esclareça como tenciona "cumprir o que tinha dito".

Pedro Filipe Soares argumentou que as consequências do "erro na fórmula matemática" que resultou em erros na colocação de professores, no início do mês, devem ser assumidas pelo Governo.

"Há professores colocados na primeira lista que fizeram escolhas, alugaram casa, prepararam a sua vida e que agora estão desempregados", contestou.

Vários agrupamentos de escolas receberam hoje orientações do Ministério da Educação para anularem as colocações de professores do concurso da bolsa de contratação, disse à Lusa um diretor de um estabelecimento.

Filinto Lima, vice-presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, disse que a orientação foi enviada hoje de manhã, por correio eletrónico, pela Direção-Geral da Administração Escolar.

Segundo a mesma fonte, a orientação pede aos diretores de escolas, com contrato de autonomia e em território educativo de intervenção prioritária, para que elaborem um despacho que revogue as listas com a ordenação dos candidatos à bolsa de contratação e, em consequência, anule as colocações que daí resultaram, e cujos resultaram foram conhecidos a 12 de setembro.

A orientação foi dada pela tutela horas antes da divulgação das novas listas, que substituem as anteriores, nas quais foram detetados erros, que levaram à demissão do antigo diretor-geral da Administração Escolar.

Filinto Lima precisou que o email, assinado pela nova diretora, Maria Luísa Oliveira, foi enviado pela DGAE pelas 11 horas e que as novas listas de ordenação foram disponibilizadas às escolas poucos depois das 14 horas.

Por seu lado, a Federação Nacional da Educação (FNE) estima em perto de 500 o número de docentes já contratados e que ficaram sem o lugar após a anulação do concurso e a divulgação de novas listas.