Sociedade

Educação Especial é o grupo com mais vagas no quadro

Educação Especial é o grupo com mais vagas no quadro

Os professores de Educação Especial são os que têm mais vagas de quadro atribuídas no concurso de vinculação extraordinária. A portaria conjunta dos ministros da Educação e das Finanças, publicada, esta quarta-feira, no Diário da República, dá 162 vagas, no total, ao Ensino Especial, sendo a maioria desses lugares (156) para o grupo de recrutamento 910, destinado a alunos com graves problemas cognitivos, motores e multideficiência.

O Ministério da Educação, recorde-se, vai abrir 600 vagas no processo de vinculação extraordinário de professores contratados. Os resultados deste recrutamento vão ser divulgados antes da abertura do concurso externo deste ano, em março. Os docentes vão ficar vinculados a um Quadro de Zona Pedagógica, mas sem escola, e é nessa categoria que vão concorrer ao concurso nacional.

É no Porto que mais vagas em Educação Especial vão ser abertas (23), mas a portaria só atribui mais 4 lugares para professores do 2.º ciclo, no grupo de Matemática e Ciências da Natureza, no Quadro de Zona Pedagógica (QZP) que abrange a Invicta. Lisboa e Tâmega são os QZP com mais lugares atribuídos: 208 e 128, respetivamente, o que representa 56% das vagas abertas pelo Ministério da Educação.

Além dos grupos referentes ao Ensino Especial, será nos de Matemática, Português (no 2.º ciclo), Educação Física e Biologia e Geologia que mais professores vão entrar nos quadros. No grupo de Educação Visual e Tecnológica (disciplina que voltou a ser separada em duas cadeiras na revisão curricular) não vai entrar nenhum docente na carreira. Em Música, no 3.º ciclo, também não. Aliás, é nas Artes que menos lugares na carreira são atribuídos. Apenas um em Educação Musical (2.º ciclo) e outro em Artes Visuais (3.º ciclo), no QZP do Tâmega.

Sindicatos em Tribunal

Fenprof e FNE estimam em seis mil os professores com contratos anuais renovados há mais de três anos. Por isso, os dois sindicatos já entregaram ações em tribunal para reivindicar a vinculação desses docentes.

1,3 milhões de euros

A vinculação dos 600 professores (que independentemente dos anos de serviço vão entrar no 1.º escalão) representará "um esforço financeiro" de 1,3 milhões de euros, já esclareceu o ministro da Educação.

106 Vagas para Matemática

No grupo 500 para o Ensino Secundário há 64 vagas (17 no QZP de Lisboa Oriental). Para o 2.º ciclo, há mais 42 lugares.

64 lugares para Português

No Ensino Secundário podem entrar 14 docentes e nos três grupos do 2.º ciclo, há 50 vagas.