Sociedade

FENPROF admite "avanços significativos" nas negociações com Governo

FENPROF admite "avanços significativos" nas negociações com Governo

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores considerou esta segunda-feira que as negociações com o Ministério da Educação sobre questões como a mobilidade especial e o alargamento do horário semanal produziram "alguns avanços significativos".

No final de mais uma reunião no Ministério da Educação, Mário Nogueira afirmou que na terça-feira prosseguirá a ronda negocial, mas vincou que foram dados "passos importantes nas reuniões de hoje".

"Há aqui alguns aspetos que consideramos significativos e que não tínhamos anteriormente e que vão no sentido de se desfazer os anseios dos professores, nomeadamente quanto às regras da mobilidade, o não aumento dos horários semanais e salvaguardas muito importantes para os professores que lhes vai permitir soluções positivas", disse Mário Nogueira.

O dirigente da Fenprof referiu que as reuniões de terça-feira vão ser "decisivas" e poderão dar resultados importantes que podem trazer estabilidade para os alunos.

Mário Nogueira assegurou que já recebeu um documento com propostas do Ministério da Educação e salientou que a Fenprof vai reunir-se ainda esta noite para discutir o conteúdo das propostas, as quais não quis adiantar.

Também por decidir ainda esta noite está o pré-aviso de greve às avaliações dos professores previstas para a próxima semana.

A Fenprof, que pretende prolongar a greve às avaliações iniciada a 07 de junho, tem que decidir até à meia-noite de hoje se avança para a paralisação.

Na terça-feira, a partir das 10 horas, os 10 sindicatos de professores voltam a reunir-se com responsáveis do Ministério da Educação para debater o documento hoje entregue pela tutela.

Hoje, o Ministério da Educação e os sindicatos estiveram reunidos desde as 10 horas em quatro mesas negociais, encontros que se prolongaram até cerca das 21.30 horas.