Sociedade

Mais de 300 professores não realizaram prova em Faro

Mais de 300 professores não realizaram prova em Faro

Mais de 300 professores de Faro que estavam inscritos para realizar, esta quarta-feira, a prova de avaliação de capacidade e conhecimentos não a fizeram por falta de condições, disse à Lusa fonte do Sindicato de Professores do Sul.

Segundo a mesma fonte, numa das escolas - na Pinheiro e Rosa, em Faro - foram os próprios docentes que iam ser submetidos ao exame que se revoltaram, mas muitos dos professores vigilantes também estavam de greve.

Em Faro havia 317 professores inscritos para a prova de avaliação de capacidade e conhecimentos .

Nas duas escolas em Portimão onde estava prevista a realização da prova de avaliação, esta foi efetuada.

Mais de 13 mil professores deviam realizar hoje uma contestada prova de avaliação de conhecimentos, no mesmo dia em que os sindicatos da Fenprof marcaram uma greve.

A prova de avaliação dos professores foi anunciada no verão passado e desde logo contestada. Em novembro, na sequência de uma reunião com sindicatos da Educação, afetos à central sindical UGT, nomeadamente a Federação Nacional da Educação, o ministério estabeleceu que apenas os professores com menos de cinco anos de carreira fariam a prova.

Os sindicatos que estiveram na reunião aceitaram a decisão e anularam as ações de contestação, mas a Fenprof manteve todas as ações de luta, incluindo a greve de hoje.

A prova realiza-se em mais de uma centena de escolas e começou às 10.30 horas, devendo durar duas horas.