Sociedade

Pais fecham escola do 1.º ciclo do concelho de Leiria a cadeado por falta de segurança

Pais fecham escola do 1.º ciclo do concelho de Leiria a cadeado por falta de segurança

Os pais dos alunos da Escola Básica do 1.º ciclo do Vidigal, no concelho de Leiria, fecharam, esta segunda-feira, o estabelecimento de ensino com um cadeado, como forma de protesto contra a falta de segurança.

O presidente da associação de pais, Paulo Medeiros, explicou que a tomada de posição é um alerta para um problema que já se arrasta "há cerca de cinco anos".

"Temos uma assistente operacional a tempo parcial , o que não garante a segurança das crianças, pois ficam sozinhas sem ninguém a tomar conta delas", adiantou o encarregado de educação, que tem um filho no pré-escolar e outro no quarto ano do 1.º ciclo.

Paulo Medeiros sublinhou que irá continuar a encerrar a escola "até que a situação fique resolvida".

Segundo o representante dos pais, a associação já denunciou o problema à Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares, bem como à direção do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus, à qual pertence a escola do Vidigal.

"Esta escola tem o mesmo direito das outras. A diretora foi contactada na sexta-feira e ficou de me dar uma resposta, mas até ao momento não me disse nada", informou.

O horário da funcionária, este ano, ainda não é conhecido, mas "continuará a tempo parcial". "A indicação que temos é que não trabalhará entre as 11.30 horas e as 15 horas. Sai às 18 horas, mas antes disso tem de deixar a limpeza da escola feita. Durante esse período as crianças estão na rua sozinhas", revelou Paulo Medeiros.

Patrícia Almeida, mãe de uma aluna, também se mostrou preocupada com a situação. "É um perigo deixar as crianças sozinhas. Temos de fazer alguma coisa para garantir a segurança das crianças. Eu trabalho e não posso vir buscá-la assim que acabam as aulas."

Paulo Medeiros informou que a escola possui cerca de 45 alunos, sendo que no 1.º ciclo existem duas salas com cerca de 28 alunos.

Outra reivindicação dos pais é a colocação de lombas em frente à escola, uma vez que "a porta da escola sai diretamente para a rua". Pedido que, segundo Paulo Medeiros, também ainda não foi atendido.

Até às 10.30 horas não foi possível obter um esclarecimento por parte da direção do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus.

ver mais vídeos