Sociedade

Professores de Educação Visual e Tecnológica contra divisão da disciplina

Professores de Educação Visual e Tecnológica contra divisão da disciplina

O presidente da Associação de Professores de Educação Visual e Tecnológica (APEVT) considerou, esta segunda-feira, que a divisão da disciplina acaba com o conceito e metodologia aplicados durante 20 anos e criticou o fim de Educação Tecnológica no 3.º ciclo.

José Alberto Rodrigues falava à agência Lusa a propósito da revisão curricular apresentada esta segunda-feira pelo ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, em que é determinado que, no 2.º ciclo, haverá uma divisão da disciplina de Educação Visual e Tecnológica em duas áreas (Educação Visual e Educação Tecnológica), cada uma com um só professor.

"Não se perdeu tudo, já que não avançou o projeto da disciplina ser semestral, mas o conceito e a metodologia desenvolvidos acabam por se perder com estas alterações", disse, criticando também o fim da Educação Tecnológica dadas no 7.º e 8.º anos.

Para José Alberto Rodrigues, "durante 20 anos investiu-se numa disciplina, formaram-se professores, definiram-se currículos e agora os docentes desconhecem a sua situação futura" e não sabem o que vão lecionar.

O presidente da APEVT defendeu ainda um regime "excecional e transitório para os alunos que este ano transitarem para o 6.º ano", já que o seu programa curricular estabelece uma única disciplina de EVT.

Quanto à decisão do Ministério de aplicar, já no próximo ano letivo (2102/2013), estas alterações curriculares, José Rodrigues considera que "será muito complicado", porque pressupõe muitas mudanças em pouco tempo e porque ainda são desconhecidos os programas que estão a ser pensados pelo Ministério da Educação e Ciência.

Imobusiness