Sociedade

Professores de Português e Matemática já esperavam descida das notas nas provas de aferição

Professores de Português e Matemática já esperavam descida das notas nas provas de aferição

As associações de professores de Matemática e Português afirmaram, esta terça-feira, que já esperavam a descida de médias dos resultados das provas de aferição do ensino básico, atribuindo-a às características das provas.

A presidente da Associação de Professores de Matemática, Elsa Barbosa, disse à Agência Lusa que já se tinha percebido que "alunos e professores não estavam à vontade" com a prova, uma vez que "ainda não tiveram tempo" de se adaptar ao novo programa sobre o qual esta incidia.

Os resultados a Matemática - média de 53,9%, menos 14,4 pontos percentuais que em 2011 - devem-se ao facto de "a prova ser pela primeira vez feita dentro do novo programa do ensino básico, que é mais exigente".

"Houve alunos [do quarto ano] que fizeram a prova, mas que nos primeiros dois anos não trabalharam com o novo programa", argumentou.

Para os professores, em muitos casos "também não houve tempo de se aperceberem das diferenças, daquilo que têm que trabalhar mais", acrescentou Elsa Barbosa.

A presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Ferreira, considerou que a descida da média nas provas de Português - de 69,3% em 2011 para 66,7% este ano - "não admira nada", uma vez que os professores já tinham concluído que "a prova era longa para alunos do quarto ano fazerem de forma consciente".

Edviges Ferreira afirmou que apesar da pequena descida percentual - 2,5 pontos -, "o ensino de Português está no bom caminho" e que a diminuição da média "não é sinal de má preparação" dos alunos.

"Vamos ver como é que corre para o ano, se bem que o exame contará tão pouco que não irá influenciar muito", afirmou.

Este foi o último ano em que as provas de aferição do ensino básico não contaram para nota. No próximo ano letivo, contarão 25% para a nota final no último ano do primeiro ciclo.