Sociedade

Professores vivem em autocaravanas

Professores vivem em autocaravanas

Há docentes a viver em autocaravanas porque não podem pagar uma segunda casa ou centenas de quilómetros diários. Há outros a completar horário em lojas e até casais que separam os filhos.

A semana de Armando Neves, de 39 anos, começa à terça-feira. Ao volante de uma autocaravana, o professor de Educação Física sai da Guarda, onde reside com a família, em direção ao agrupamento de São João da Pesqueira (Viseu). Quando há ano e meio comprou a viatura, não imaginava que estava a adquirir a casa ambulante onde haveria de viver no período de aulas.

"Salvo raras exceções, sempre consegui destacamento para escolas mais próximas de casa, mas este ano não foi possível", contou ao JN. "Para fazer a viagem de ida e volta teria de gastar entre 500 a 600 euros mensais entre combustível e refeições, pelo que, pesadas as despesas e cortes salariais, decidi fazer da autocaravana a minha segunda casa".

Armando Neves não é caso único no país, garante o líder da Fenprof, Mário Nogueira. Há casais de docentes, separados por quilómetros que separam os filhos para dividir as despesas. Desde que Passos Coelho tomou posse, os docentes perderam 30% do seu salário líquido. A crise e política educativa estão a desregular a carreira e a causar o retrocesso social, diz.