Avaliação de professores

Mais de 1400 professores chumbaram na prova de avaliação

Mais de 1400 professores chumbaram na prova de avaliação

Mais de 1400 dos professores contratados (cerca de 14%) tiveram negativa na Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades. Estes docentes vão ser excluídos dos concursos de vinculação extraordinária e de contratação. A Fenprof garante que apoiará ações judiciais para impugnar as colocações.

De acordo com os dados do Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), 8747 professores foram aprovados. A média nacional da prova foi de 63,3% mas mais de metade (50,9) tiveram nota superior a 70%.

Tanto a Federação Nacional de Professores (Fenprof) como a Associação Nacional de Professores Contratados (ANVPC) desvalorizam os resultados. As duas organizações mantêm a exigência de anulação da prova. Mário Nogueira reafirma que a Fenprof vai apoiar os docentes que pretendam impugnar judicialmente as colocações, por considerar que a prova não era um requisito "realizável" à data de abertura dos concursos. Logo, insiste, é uma exigência "ilegal".

Já César Israel Paulo frisa que os 14% de reprovados são um número residual no universo docente. Depois, sendo docentes com menos de cinco anos de serviço são professores que "já não devem dar aulas". Para o presidente da ANVPC, a Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC) não tem consequências a nível da vinculação ou da qualidade do sistema. "É a bandeira política" de Nuno Crato.

Nos tribunais, recorde-se, ainda se encontram quatro providências cautelares interpostas pelos sindicatos.

A componente comum da PACC foi realizada a 18 de dezembro e 22 de julho. O processo esteve suspenso devido a providências interpostas pelos sindicatos. A componente específica não se realizará este ano.

Outras Notícias