Sociedade

Ministério sabe quais são as escolas que inflacionam notas

Ministério sabe quais são as escolas que inflacionam notas

O presidente do Conselho Nacional de Educação disse, esta segunda-feira, que não é sua competência ou obrigação denunciar à tutela as escolas que inflacionam notas, até porque os dados que permitiram detetar o problema foram fornecidos pelo ministério.

Em conferência de imprensa, na sede do Conselho Nacional de Educação (CNE) em Lisboa, a propósito do relatório Estado da Educação 2013 divulgado no sábado, o presidente deste órgão consultivo do Ministério da Educação e Ciência (MEC) disse que a tutela nunca pediu os dados, até porque a informação de origem, e que permitiu ao Conselho detetar a inflação de notas por parte das escolas, foi dada pelo Júri Nacional de Exames, tutelado pelo ministério.

"Não me compete fazer queixas ao Ministério", disse David Justino, quando questionado se tinha apresentado ao MEC diretamente, ou à Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGEC) queixa das escolas identificadas por esta prática.

Sublinhando que a inflação das notas seja uma prática que acontece tanto nas escolas públicas como nas privadas, David Justino disse também que a maioria não o faz, e admitiu que são quase sempre as mesmas a falsear as notas dos alunos.

"Há escolas que são reconhecidas por isso", disse, acrescentando que é ao MEC que "compete atuar".

"Tive a oportunidade de falar já há uns tempos com o secretário de Estado da Educação, que me disse que estava a acompanhar e que estavam a tentar encontrar soluções para isso", acrescentou.

Outros Artigos Recomendados