Sociedade

Ministro diz que mega agrupamentos escolares não podem ser disfuncionais

Ministro diz que mega agrupamentos escolares não podem ser disfuncionais

O ministro da Educação, Nuno Crato, assegurou, esta terça-feira, que nada está ainda decidido quanto à criação dos mega agrupamentos escolares, exceto não darem origem a disfuncionalidades no processo que visa agrupar escolas de forma mais racional, como observou.

Em declarações à Agência Lusa, à margem da inauguração das obras de requalificação da Escola Básica D. Miguel de Almeida, em Abrantes, Nuno Crato disse que as direções regionais de educação, as autarquias e as escolas estão num processo de discussão, no âmbito do trabalho a ser desenvolvido numa primeira fase, e que vai ser apresentado ao secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar.

"Entre o dia de hoje (terça-feira) e o de amanhã (quarta-feira) vão ser feitas reuniões relativas a todas as situações do país", notou o ministro, tendo acrescentado que esse processo "é o culminar de um primeiro passo", que antecede um período de reflexão e de decisão.

"Queremos agrupar escolas para que o processo educativo seja mais racional, para que haja mais contacto entre os diversos níveis de ensino, e para que tudo funcione de forma mais harmónica", disse o governante, tendo observado que tais objetivos "não podem levar à criação de agrupamentos disfuncionais".

Nuno Crato afirmou nada estar decidido quanto à criação dos denominados mega agrupamentos escolares, tendo assegurado que haverá espaço para "novas discussões com todos os atores envolvidos" no processo.

O ministro da Educação disse ainda que o novo estatuto do aluno é um diploma que precisa de ser alterado para se tornar um melhor indicativo do papel dos diversos atores do ensino e para introduzir um ambiente "mais disciplinado e mais respeitador".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG