escolas

Pais fecham escola em Marvila a cadeado contra turma de "43 alunos"

Pais fecham escola em Marvila a cadeado contra turma de "43 alunos"

Pais de alunos do 4.º ano da escola EB1 número 9 de Marvila, em Lisboa, fecharam a cadeado, esta segunda-feira de manhã, o estabelecimento de ensino para exigir a colocação de mais dois professores. Denunciam a existência de uma turma de 43 alunos, que junta os 2.º, 3.º e 4.º anos.

Uma das mães em protesto, Sandra Silva, indicou que os pais encerraram as instalações do estabelecimento de ensino a cadeado às 7 horas, em defesa dos "direitos dos seus filhos".

"Não temos professores em duas turmas do quarto ano e os nossos filhos foram colocados em outras turmas. O que se passa é que existem já turmas com 40 alunos em cada aula e não há também auxiliares suficientes para tomar conta deles", explicou.

O objetivo do protesto, de acordo com Sandra Silva, é assim o de "serem ouvidos", uma vez que já escreveram cartas para o Ministério da Educação e para a Direção Regional de Educação de Lisboa (DREL) e "ninguém faz nada.

Cerca das 10.00 horas, a EB1 número 09 de Marvila já estava aberta, mas permaneciam pendurados alguns cartazes de protesto.

Ana Bateira, encarregada de educação, disse à agência Lusa que os anos letivos têm durado "nove meses", devido ao atraso na colocação de professores, e lamentou a presença de alunos de diferentes anos na mesma turma.

"Uma professora para três anos diferentes. Como é que os alunos vão fazer os exames nacionais sem bases?", questionou aquela mãe, rodeada de outros encarregados de educação, que se mostravam preocupados face à possibilidade de os filhos poderem "chumbar por causa do sistema".

PUB

Com o caderno de matemática do filho aberto, outra mãe mostrava as quatro páginas de trabalhos de casa diários que a professara indica, "porque durante o dia, não tem tempo para ensinar".

A presença de "duas funcionárias durante a manhã e de outras duas durante a tarde para 130 crianças" foi outra das críticas feitas pelos pais, que alertaram para a alegada ocorrência de "agressões" por parte de algumas funcionárias.

Os pais têm procurado respostas da coordenadora da escola, do agrupamento e da Direção Regional de Educação de Lisboa e prometem que, se não obtiverem resposta, "amanhã (terça-feira) fecham outra vez na escola".

No local, estiveram vários agentes da PSP, que, segundo os pais, abriram o portão e retiraram os cartazes de protesto.

Fonte policial avançou à Lusa que a situação foi comunicada pelas 08.56 horas e que pais dos alunos foram identificados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG