Sociedade

Placas de fibrocimento em mau estado vão ser removidas de 50 escolas

Placas de fibrocimento em mau estado vão ser removidas de 50 escolas

Este ano letivo serão removidas de 50 escolas as placas de fibrocimento, compostas de fibra de amianto, que se encontram em mau estado de conservação. A primeira intervenção será já este fim-de-semana na Escola B2/3 de Azeitão, dada a "urgência" e perigosidade que representa.

O plano foi apresentado, esta sexta-feira, pelo secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar, João Casanova de Almeida, numa escola em Carnaxide.

Programa de Remoção do Fibrocimento das Escolas, que chegou a ser prometido pela anterior ministra, Isabel Alçada, vai avançar já na pausa letiva da Páscoa em 15 escolas.

No entanto, o secretário de Estado informou que, dada a "urgência" e perigosidade, será feita já neste fim-de-semana a intervenção na Escola B2/3 de Azeitão, em Vila Nogueira de Azeitão, Palmela, cujas placas de fibrocimento foram danificadas no temporal de janeiro.

As restantes intervenções serão efetuadas nas férias do verão, num total de 50 - 9 na Região Norte, 16 na Região Centro, 14 em Lisboa e Vale do Tejo, 5 no Alentejo e 6 no Algarve.

João Casanova de Almeida esclareceu que esta intervenção não visa remover as placas de fibrocimento das escolas, mas substituir as que estão em mau estado de conservação, nomeadamente na sequência das intempéries, cujo levantamento foi feito em janeiro e fevereiro.

O plano, custeado pelo Ministério da Educação, tem o custo de seis milhões de euros.