Desemprego

Professores desempregados ocupam instalações do Ministério da Educação

Professores desempregados ocupam instalações do Ministério da Educação

Cerca de 40 professores desempregados entraram, esta quinta-feira à tarde, nas instalações do Ministério da Educação e Ciência, em Lisboa, exigindo ser recebidos pelo ministro Nuno Crato.

Segundo Ana Paula Machado, esta iniciativa dos professores desempregados tem o apoio do Sindicato Professores da Grande Lisboa (SPGL), associado da Fenprof, e é justificada com o facto de considerarem que as escolas precisam de docentes e que as turmas estão demasiado grandes.

A dirigente sindical Deolinda Machado explicou que a decisão de se concentrarem nas instalações do Ministério da Educação surgiu numa reunião realizada, esta quinta-feira de manhã, com os professores desempregados onde foi feito um levantamento da situação das ofertas de escola.

"Depois do encontro foi decidido pedir uma audiência ao ministro, tendo em conta que há escolas encerradas, sem professores e com turmas demasiado grandes, havendo por outro lado milhares de professores no desemprego", disse.

"Não há justificação para este número tão grande de desempregados", adiantou Deolinda Machado, adiantando que nos últimos anos saíram milhares de professores para a aposentação e que não foram substituidos.

Os professores, que aguardam sentados no átrio das instalações do Ministério, na Avenida 5 de outubro, dizem que vão permanecer no local até serem recebidos pelo ministro ou por um dos secretários de estado, recusando qualquer reunião com assessores.

Os docentes dizem recusar receber o subsídio de desemprego quando as escolas precisam deles e num ano em que, por questões economicistas, as turmas têm demasiados alunos, indicou à Lusa a professora Sofia Barcelos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG