Sociedade

Professores vão votar greve aos exames

Professores vão votar greve aos exames

Promete ser uma declaração de guerra: a demissão do Governo é a prioridade da direção da Federação Nacional de Professores, ao iniciar novo mandato. A classe está à beira de um precipício e promete responder: ações de luta, como greves às avaliações e exames vão ser debatidas e votadas, em Lisboa.

A Fenprof reúne-se esta sexta-feira e sábado em congresso. Mário Nogueira prepara-se para o terceiro e possível último mandato como secretário-geral. As ameaças à profissão docente (que pode atirar, pela primeira vez, para a mobilidade e desemprego professores de quadro) e ações de luta, como greves às avaliações e exames vão ser debatidas e votadas, em Lisboa.

A classe sente-se à beira de um precipício. Há menos professores nas escolas, com salários cortados e mais alunos. O questionário promovido pela Fenprof nas escolas, e que servirá de base às propostas que serão votadas em congresso, revelou que em todas as regiões do país o emprego, a precariedade e a mobilidade especial são a principal preocupação dos professores (eleita em primeiro lugar por quase 100%). À beira de serem conhecidos novos cortes que podem conduzir a um aumento dos horários e da idade de reforma, Nogueira elege a prioridade: a demissão do Governo.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Outras Notícias