Sociedade

Reitores admitem greve se governo não recuar

Reitores admitem greve se governo não recuar

Todas as propostas serão avaliadas, incluindo uma greve, se a proposta de Orçamento não for alterada, admitiu, sexta-feira, António Rendas. Se o Governo não recuar, aprovará a "desintegração" do Ensino Superior.

Após a leitura da declaração "Portugal e as universidades", na Sala do Senado da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, António Rendas repetiu aos jornalistas ter a "expectativa legítima de tentar até ao fim" que a proposta de Orçamento do Estado (OE) não seja aprovada sem que a dotação para o Ensino Superior seja alterada. O reitor da Nova e também presidente do Conselho de Reitores (CRUP) invocou essa convicção para não esclarecer o limiar mínimo de sustentabilidade que as universidades aceitarão do Governo. Confrontado com uma greve, no caso da proposta de lei não ser alterada, admitiu que os reitores "estão disponíveis para analisar todas as propostas que receberem da comunidade universitária". Todos os reitores leram ao meio-dia a mesma declaração.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa