Ensino Superior

Sete cursos com menos de 20 vagas e nenhum com menos de dez

Sete cursos com menos de 20 vagas e nenhum com menos de dez

A licenciatura de Tradução e Interpretação de Chinês é um dos cursos com menos de 20 vagas na primeira fase de candidatura ao acesso do Ensino Superior, que começa na quarta-feira.

Tal como já aconteceu no ano passado, este ano volta a haver menos vagas no Ensino Superior. Segundo dados do Ministério da Educação e Ciência (MEC), na primeira fase há 51461 vagas (menos 837), distribuídas por 1087 cursos.

Na lista de cursos disponibilizada pelo MEC não existe nenhum que ofereça menos de dez vagas, até porque o Governo tinha já anunciado a intenção de impedir a abertura de cursos que registassem uma média de inscrições inferior a dez.

Nesta primeira fase, existem sete cursos com menos de 20 vagas. Em primeiro lugar surge Engenharia Têxtil em regime pós-laboral, da Universidade do Minho, com 12 vagas. A instituição mantém ainda o curso de Engenharia Têxtil, abrindo apenas 15 vagas, e Direito em regime pós-laboral, com 16 vagas.

Na Universidade dos Açores também existem três cursos com poucas vagas disponíveis: Medicina Veterinária (13), Ciências Farmacêuticas e Ciências da Nutrição (ambos com 15 vagas).

Para conseguir entrar no curso de Tradução e Interpretação Português/Chinês e Chinês Português, do Instituto Politécnico de Leiria da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, é preciso estar entre os 18 melhores alunos concorrentes, já que só abriram essas vagas.

Com 20 vagas, existem 83 cursos em todo o país. Segundo o MEC, as instituições procederam a uma reorientação da oferta na fixação de vagas, tendo em consideração a procura, a empregabilidade e as áreas de formação, segundo as regras estabelecidas pela tutela.

Segundo dados do MEC, no ano passado sobraram 8547 vagas, quase o dobro dos lugares sobrantes em 2009 (4614). Este fenómeno está, em parte, relacionado com a redução de candidatos ao ensino superior que se tem registado nos últimos anos: em 2009, concorreram quase 60 mil alunos enquanto no ano passado foram apenas cerca de 53 mil, segundo dados da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).

A primeira fase de candidaturas ao concurso nacional de acesso ao Ensino Superior público começa na quarta-feira e é feita através da Internet, na plataforma da DGES.