Agricultura e Pescas

Fiscais das pescas torturados por portugueses e espanhóis

Fiscais das pescas torturados por portugueses e espanhóis

Os fiscais que monitorizam as quotas europeias de peixe estão a ser intimidados regularmente e a ser alvos de tentativa de suborno por parte das tripulações de barcos portugueses e espanhóis, noticiou o jornal inglês The Guardian.

De acordo com o jornal, mais de 20 antigos e atuais fiscais em navios portugueses ou espanhóis confessaram terem sido colocados sob vigilância, alvos de privação de sono ou mesmo ameaçados de ser atirados borda fora.

O jornal refere igualmente que alguns dos fiscais viram a sua documentação oficial ser roubada para tentar esconder uma exploração excessiva por parte das tripulações.

Os ficais são colocados a bordo de todas as embarcações de pesca que operam na Organização de Pescas do Atlântico Noroeste (NAFO), onde passam cerca de cinco meses.

Ouvido pelo jornal inglês, Henrique Ramos, cuja empresa SeaExpert lidera o programa português de observadores desde 2006, explicou uma das formas encontradas pelas tripulações para escapar à fiscalização.

"A maneira a mais simples [para conseguir passar na inspeção] é armazenar capturas ilegais debaixo das legítimas nas bandejas do congelador, mas algumas vezes o peixe é mesmo transferido de um barco para outro no mar", explicou.

Ramos considera que o problema principal é o facto de os observadores se sentirem isolados e desacreditados pela Comissão Europeia e pelas autoridades nacionais.