Sociedade

Igreja cerra fileiras em defesa do Estado Social

Igreja cerra fileiras em defesa do Estado Social

Numa altura em que o Governo tem na mira a reformulação do Estado social, a Igreja diz que o povo precisa e merece mais, exigindo que o Estado assuma as suas responsabilidades. Está a chegar-se ao limite.

A situação social "é dramática", ninguém o esconde. Por isso, a Igreja diz que é chegada a hora de olhar para as causas da crise e para os verdadeiros fatores capazes de oferecerem soluções estáveis.

"Se não chegarmos à verdadeira responsabilidade do Estado e não contribuirmos efetivamente para uma sociedade solidária só chegaremos a considerações", disse, ontem, D. Jorge Ortiga, na abertura da Semana Social, que decorre no Porto.

O arcebispo de Braga, que é também o responsável máximo da Igreja Católica pela Pastoral Social, adverte que o Estado social tem o seu papel "insubstituível", admitindo não acreditar que os múltiplos cortes de prestações sociais, anunciados pelo Governo, ponham em causa o Estado Social.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG