educação

Aluno perdeu prémio de mérito minutos antes da cerimónia

Aluno perdeu prémio de mérito minutos antes da cerimónia

Pedro Rocha deveria ter recebido 500 euros na segunda-feira passada, numa cerimónia em Constância com a presença do ministro da Educação. Mas minutos antes a directora soube que não poderia entregar o prémio monetário e suspendeu o anúncio.

"Estava tudo pronto para entregar o cheque ao aluno, mas lembrei-me que responsáveis da Direcção Regional de Educação [DREL] me tinham dito informalmente que este ano iria haver algumas alterações. Não especificaram quais e perguntei ao ministro se os prémios de mérito poderiam ser entregues: disse-me que não", contou Anabela Grácio à agência Lusa.

A presidente do Agrupamento de Escolas de Constância teve conhecimento da suspensão do pagamento dos prémios de mérito a poucos minutos do início da cerimónia do Dia do Diploma, antecipada para segunda-feira em Constância porque o ministro Nuno Crato estaria em Bruxelas na sexta-feira, quando se assinalava a efeméride.

Foi apenas dois dias depois da cerimónia que a Imprensa noticiou a suspensão do prémio monetário de 500 euros que tem como objectivo distinguir os melhores alunos do ensino secundário de cada escola, tendo o ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, esclarecido depois que a opção de suspender a atribuição do prémio já tinha sido tomada "há bastante tempo".

"Já decidimos isso há bastante tempo, houve qualquer problema de comunicação", afirmou o ministro, confrontado com as críticas por o anúncio da deliberação só ter sido conhecido na quarta -feira.

"Achamos melhor que os 500 euros que estavam atribuídos a cada aluno" sejam "atribuídos a projectos de escola, a projectos de apoio aos alunos e não devemos estar simplesmente a distribuir dinheiro", esclareceu Nuno Crato.

Pedro Rocha, que concluiu o 12.º ano com média de 18 na área profissional, só soube na sexta-feira que tinha sido distinguido com o prémio. Em declarações à Lusa, Pedro comentou desta forma a decisão do ministro: "O dinheiro faz jeito a todos".

O jovem conquista pelo terceiro ano consecutivo todos os prémios em disputa: Prémio Camões, Prémio SenSoSim (Sensibilidade, Solidariedade, Simpatia) e, este ano, o prémio de mérito.

Considerado "tecnicamente muito bom" pela directora da escola, este ano Pedro não vai prosseguir os estudos por "decisão pessoal".

Constância foi o primeiro local no país a acolher as cerimónias antecipando-as para segunda-feira, 26 de Setembro, tendo convidado para o efeito o ministro da Educação.

Na ocasião, Nuno Crato afirmou que o Ministério da Educação quis que o Dia do Diploma, ou Dia do Mérito, fosse celebrado em todas as escolas, "não propriamente para distribuir dinheiro, embora também se possa distribuir dinheiro, mas para celebrar o mérito dos alunos, pais e professores".

Anabela Grácio reafirmou que a informação relativa àquela decisão "não chegou à escola" e que "só soube no dia em que ia entregar o prémio", numa cerimónia onde se fizeram representar centenas de pessoas, entre professores, alunos, auxiliares de acção educativa e encarregados de educação.

A Lusa tentou contactar o gabinete de Nuno Crato, mas sem sucesso.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado