Sociedade

Associações atropelam-se na ajuda aos sem-abrigo

Associações atropelam-se na ajuda aos sem-abrigo

Existem 1300 sem-abrigo no Porto e 852 em Lisboa. Sem casa nem rumo, vale-lhes a comida oferecida por instituições para matar a fome. Mas queixam-se da falta de outros apoios, sobretudo a nível psicológico.

Sobra, por vezes, comida, onde falta uma palavra amiga, um conselho, ou simplesmente alguém que os ouça. A realidade da vida de um sem-abrigo nas ruas das duas maiores cidades do país está longe de ser conhecida do grande público. Em tempos conturbados a nível social e económico, é verdade que não faltam instituições que distribuam comida e mantas, mas o JN testemunhou, nas ruas de Porto e Lisboa, as outras carências que castram as aspirações de quem, por uma qualquer circunstância da vida, acabou por cair na rua.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa.

Conteúdo Patrocinado