Sociedade

Avança a investigação de vacina contra cárie dentária

Avança a investigação de vacina contra cárie dentária

O Laboratório de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), no Porto, registou um importante avanço na investigação que visa a comercialização de uma vacina contra a cárie dentária ao comprovar que esta não provoca efeitos colaterais indesejáveis.

"Os estudos toxicológicos mais recentes realizados em ratos conseguiram comprovar que a utilização da vacina é completamente inócua, em termos de efeitos colaterais indesejáveis", refere o ICBAS, numa nota de imprensa enviada à Lusa.

Mais especificamente, o instituto salienta que "não se detectou nenhuma lesão patológica" na sequência da avaliação histopatológica feita a todos os animais vacinados.

Este "importante passo" surgiu no quadro dos estudos que têm vindo a ser realizados pela equipa de investigadores liderada por Paula Ferreira, que já registou em 2005 a patente da vacina contra a cárie dentária.

A cárie dentária é uma das doenças infecciosas com maior incidência nos seres humanos, estando ainda associada a complicações médicas, nomeadamente as endocardites infecciosas.

Na sequência dos estudos realizados, os investigadores do ICBAS conseguiram isolar uma proteína produzida por um dos agentes etiológicos da cárie dentária, que facilita o crescimento da bactéria no hospedeiro.

Mais recentemente, conseguiram produzir uma proteína recombinante mais segura ao eliminar potenciais agentes patogénicos, tendo-se verificado que esta proteína também possui um efeito protector contra a cárie dentária, sem que tenham sido observados efeitos indesejáveis.

Os resultados do trabalho, que tem vindo a ser desenvolvido no Laboratório de Imunologia do ICBAS, já foram aceites para publicação pelo "The Journal of Infectious Diseases", uma das mais prestigiadas publicações do sector.

Apesar destes avanços, os responsáveis pelo estudo ainda consideram "prematuro" avançar para testes clínicos em seres humanos, defendendo ser mais importante nesta fase testar a vacina em macacos.