Rússia

Avó de Alexandra recusa regresso

Avó de Alexandra recusa regresso

Olga Zarubina, a avó de Alexandra, a menina russa que vivia em Barcelos, não ficou convencida com as propostas e ofertas de apoio que lhe fizeram durante a sua recente deslocação a Portugal, e decidiu que a família não se vai mudar.

Embora a senhora evite os órgãos de comunicação, um responsável da Comissão para Assuntos de Menores, afirmou à "Rádio Liberdade" que Olga Ivanova tinha sido inequívoca. "Eu decidi firmemente que não vou", foram as palavras da avó de Alexandra citadas por Iuri Kudriatsev, da referida comissão.

Kudriatsev referiu ainda que Olga Zarubina tinha concluído que a "queriam atrair para lá (Portugal) e ali tiram-me as crianças e expulsam-me". A casa que foi mostrada à avó da Alexandra não lhe agradou e "precisa de obras". Além disso, o clima também não pareceu propício à saúde da senhora, que se queixou da tensão arterial. Não agradaram também as propostas de escola e universidade para a neta mais velha, Valéria. "Eu sinto que me queriam atrair e vi falsidade nas propostas deles", teria dito Olga Ivanovna, citada por Kudriatsev, concluindo de forma categórica que "não vou para lado nenhum, vou viver aqui e tentar influenciar a minha filha".

Kudriatsev admitiu que tinham tido vários problemas com a mãe da Alexandra, Natália, e que já a tinham multado três vezes, depois de a terem repreendido por não cumprir devidamente os seus deveres de mãe. "Ora bebia, ora deixava as crianças sózinhas em casa, por isso tivemos que a castigar", afirmou.

"Nós, sobretudo, temos pena da criança. Ela está desenvolvida, desenha bem. Não queríamos ter de a mandar para qualquer lado, se a mãe não muda", adiantou o responsável da Comissão de Menores da província de Iaroslavl, que diz que a educadora no infantário dedica uma atenção especial a Alexandra a pedido da comissão. Na opinião de Kudriatsev, confiar a criança à avó não resolve o problema porque a situação familiar permanece igual.