Sociedade

Banco Alimentar detetou 1500 pessoas a receber em duplicado

Banco Alimentar detetou 1500 pessoas a receber em duplicado

Cerca de 1500 pessoas (perto de 500 famílias) estavam inscritas em várias instituições e recebiam alimentos em duplicado, triplicado ou até quadruplicado, detetou o Banco Alimentar do Porto, no ano passado. Por isso, criou uma plataforma, que começou a funcionar em março deste ano e impede que famílias recebam alimentos de várias entidades, explicou Rui Leite de Castro, presidente do Banco Alimentar do Porto. "É uma questão de justiça, queremos ajudar por igual todos os que precisam", justificou.

As duplicações foram detetadas no ano passado, quando o Banco Alimentar foi às instituições às quais dá alimentos buscar os processos de todas as famílias apoiadas e cruzou os dados, um a um. Num universo de 42 mil pessoas, encontrou cerca de 1500 a receber comida de duas, três ou até quatro instituições diferentes. São casos de fraude, mas sobretudo de pessoas que, vendo-se numa situação desesperada, tentam armazenar todos os alimentos que encontram, acredita Rui Leite de Castro. "Foi um trabalho imenso, mas que valeu a pena", disse.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Conteúdo Patrocinado