O Jogo ao Vivo

Igreja

Bispo de Clonfert pagou 165 mil euros para evitar julgamentos de pedofilia

Bispo de Clonfert pagou 165 mil euros para evitar julgamentos de pedofilia

O bispo da diocese irlandesa de Clonfert, John Kirby, compensou economicamente com acordos extrajudiciais durante a década de 1990 duas vítimas de abusos sexuais por um padre da diocese, revelou, esta quinta-feira, o "The Irish Times".

Segundo o jornal, Kirby confessou ao diário que em 1994 e 1998 pagou "cerca de 130 mil libras irlandesas (165065 euros)" para evitar que os casos chegassem aos tribunais.

Os abusos foram cometidos por um sacerdote, identificado como "sacerdote A" num relatório divulgado na quarta-feira pelo órgão fiscalizador da Igreja Católica irlandesa.

O documento assinala que, entre 1990 e 1997, "foram apresentadas cinco queixas contra o 'sacerdote A'", que posteriormente foi preso por crimes de pedofilia.

Refere também que Kirby, depois de conhecer as denúncias, transferiu aquele e outro sacerdote para diferentes paróquias da diocese de Clonfert, no oeste da Irlanda.

De acordo com o texto, o bispo pediu perdão pela sua atuação e alegou que naquela altura acreditava que a pedofilia era, apenas, uma "amizade excessiva".

"Pode atribuir-se à minha ingenuidade e extrema inocência, mas realmente pensava que se separasse o sacerdote do menor resolvia o problema, que era uma amizade excessiva", explicou Kirby.

O documento do órgão fiscalizador da Igreja inclui outros relatórios sobre as dioceses irlandesas de Clonfert, Cork e Ross, Kildare e Leighlin e Limerick, assim como das ordens religiosas dos Dominicanos, Espiritanos e Missionários do Sagrado Coração.

A investigação detetou "falhas graves" nas medidas de proteção dos menores adotadas pela Igreja Católica irlandesa, pelo que o ministro da Justiça irlandês, Alan Shatter, anunciou na quinta-feira que a Unidade de Delitos Sexuais da polícia está a investigar alguns dos casos referidos no relatório.