Sociedade

Bombeiros de Viseu esperam "condenação exemplar" para acusados de fogo no Caramulo

Bombeiros de Viseu esperam "condenação exemplar" para acusados de fogo no Caramulo

O presidente da Federação de Bombeiros de Viseu defendeu este sábado, em Coimbra, uma "condenação exemplar" para os arguidos acusados de homicídio qualificado pelas quatro mortes causadas num incêndio no Caramulo, em agosto de 2013.

O Ministério Público acusou dois arguidos dos crimes de homicídio qualificado, incêndio florestal e ofensa à integridade física, imputando-lhes a autoria dos incêndios que, em agosto de 2013, provocaram, além de quatro mortos, vários feridos e prejuízos na serra do Caramulo, no distrito de Viseu.

"Foi uma belíssima decisão" do Ministério Público, comentou Rebelo Marinho, presidente da Federação de Bombeiros do distrito de Viseu, à margem da Conferência Nacional do PS sobre Proteção Civil, que decorre durante a tarde deste sábado na Casa Municipal da Cultura, em Coimbra.

O ex-presidente do Serviço Nacional de Bombeiros espera que "esta seja uma porta aberta para uma abordagem diferente: mais severa, mais agravada, mais intolerante".

A justiça "tem um efeito corretivo", disse Rebelo Marinho à agência Lusa, acreditando que "uma punição mais pesada terá um efeito dissuasor".

"Com penas leves ou sem penas é que não se vai lá", sublinhou, considerando que os incêndios foram sempre "tratados de forma menos pesada".

Numa nota da Procuradoria-Geral da República (PGR) lê-se que o Ministério Público na Comarca de Vouzela "deduziu acusação contra dois arguidos pela autoria dos incêndios de agosto de 2013, na serra do Caramulo, que provocaram quatro vítimas mortais, grande número de feridos e elevados prejuízos materiais".

A PGR acrescentou que, a pedido do Ministério Público, o julgamento será realizado por um tribunal de júri.

Em agosto de 2013, a Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção do suspeito de ter ateado um incêndio florestal "de grandes dimensões" na serra do Caramulo, que provocou a morte a quatro bombeiros.

O jovem, de 20 anos, foi detido pelo Departamento de Investigação Criminal de Aveiro e Diretoria do Centro da PJ, com a colaboração do Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Viseu de Santa Comba Dão.

Fonte da PJ explicou, então, que o jovem agiu "em colaboração com um outro indivíduo, este emigrante", ateando "vários focos de incêndio na Serra do Caramulo, nos concelhos de Vouzela e Tondela, no dia 20 de agosto, que se transformaram num fogo de grandes dimensões".

A mesma fonte referiu, ainda, que o suspeito terá agido por vingança, depois de lhe ter sido aplicada uma multa pela GNR.

No mês seguinte, o alegado coautor deste incêndio, de 28 anos, emigrante no Luxemburgo, entregou-se voluntariamente às autoridades.

Da lista dos grandes incêndios de 2013 fazem parte os fogos que deflagraram na serra do Caramulo que, na zona de Tondela, consumiram 6.841 hectares.