Sociedade

"Douro Vinhateiro não está em risco iminente", assegura a UNESCO

"Douro Vinhateiro não está em risco iminente", assegura a UNESCO

A classificação do Douro Vinhateiro como Património da Humanidade "não está em risco iminente", no contexto das recomendações do relatório da UNESCO, disse à Lusa fonte da organização em Paris.

Fonte da organização em Paris confirmou que tinha sido entregue às autoridades portuguesas um relatório com várias recomendações para manter a classificação, mas que até se chegar a uma possível desclassificação "há várias etapas e não é um processo automático".

Segundo a mesma fonte, Portugal pode naturalmente seguir as recomendações, mantendo a classificação internacional, chancelada pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

A questão "é sensível" reconheceu a mesma fonte, que disse ter sido o relatório remetido às autoridades portuguesas, nomeadamente à comissão nacional da UNESCO que, até ao momento, não respondeu às tentativas de contacto feitas pela Agência Lusa.

Os eventuais impactos da barragem de Foz Tua no Douro Vinhateiro motivaram uma recomendação ao Estado português por parte da UNESCO, que surgiu depois de uma visita a Portugal de um grupo técnico da organização, para avaliar os referidos impactos, na sequência de uma queixa apresentada pelo Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV).

Num relatório concluído no final de Junho e remetido ao Governo português em Agosto, aquela equipa aponta os impactos negativos e graves da construção do empreendimento e sublinha que o Estado português não adoptou todos os procedimentos a que está obrigado perante a UNESCO no processo de análise e aprovação do projecto da barragem.

De acordo com o relatório, a construção da barragem terá "um impacto irreversível e ameaça o valor excepcional universal [que é o fundamento da classificação da UNESCO]".

ver mais vídeos