Sociedade

Duque de Wellington morreu a meses dos 200 anos de Waterloo

Duque de Wellington morreu a meses dos 200 anos de Waterloo

O 8.º duque de Wellington morreu, esta quarta-feira, em Londres aos 99 anos, informou um porta-voz da família, quando faltam seis meses para as comemorações do 200.º aniversário da famosa vitória do seu antepassado na Batalha de Waterloo.

Arthur Valerian Wellesley era detentor de vários títulos nobiliárquicos, entre os quais o título português de duque da Vitória, atribuído em 1812 pelo príncipe regente D. João -- futuro D. João VI -- ao general britânico que comandou os exércitos que expulsaram as tropas napoleónicas de Portugal, Arthur Wellesley.

O 8.º duque de Wellington morreu pacificamente em casa, rodeado da família, e o funeral, privado, realiza-se a 8 de janeiro, segundo o porta-voz.

Na Batalha de Waterloo, cidade atualmente na Bélgica mas então parte do Reino Unido dos Países Baixos, as forças britânicas e aliadas comandadas por Arthur Wellesley venceram definitivamente as tropas do imperador francês Napoleão, pondo fim a 12 anos de guerra na Europa.

Evelyn Webb Carter, presidente da comissão organizadora do 200.º aniversário da batalha, que se assinala a 18 de junho na Catedral de São Paulo, em Londres, lamentou a morte de Wellesley e, em particular, a sua ausência das comemorações.

"Ele estava ao corrente de todos os preparativos até há cerca de um mês e estava certamente a contar estar presente no serviço religioso" na catedral, disse.

Numa mensagem escrita meses antes da sua morte para a página na internet das comemorações do segundo centenário da batalha (www.waterloo200.org), Arthur Valerian Wellesley explicou a importância de assinalar a vitória.

"Perguntam-me muitas vezes se agora, com a unidade que há na Europa, não devíamos esquecer Waterloo e as batalhas do passado. A minha resposta é que a História não pode ser esquecida e temos de ser recordados da coragem de milhares de homens de muitas nações que lutaram e morreram em poucas horas a 18 de junho de 1815 e cuja valentia e sacrifício asseguraram a paz na Europa por 50 anos", escreveu.

Com a sua morte, o filho mais velho, Charles, assume o título de 9.º duque de Wellington.

Conteúdo Patrocinado