Incêndios

Empresa de Meios Aéreos teve 1,3 milhões de prejuízo no ano passado

Empresa de Meios Aéreos teve 1,3 milhões de prejuízo no ano passado

A Empresa de Meios Aéreos, que vai ser extinta pelo Ministério da Administração Interna, terminou o ano passado com um prejuízo de cerca de 1,3 milhões de euros, segundo o relatório de gestão e contas de 2010.

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou, no domingo, que a Empresa de Meios Aéreos (EMA) vai ser extinta e as suas funções vão ser assumidas directamente pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), escusando-se a avançar mais pormenores sobre esta empresa criada em 2007.

Com 73 colaboradores, dos quais 37 são pilotos, a EMA terminou o ano de 2010 com um prejuízo de cerca de 1,3 milhões de euros, resultados negativos que já se tinham verificado em 2009, com cerca de 2,5 milhões de euros negativos.

De acordo com o relatório de gestão e contas de 2010, a estrutura de endividamento da empresa, em 2010, é de 100 por cento, o que indica que "o risco de dificuldade de tesouraria para a empresa é muito alto".

Este ano, a EMA contava, a 30 de Junho, com cerca de 1,1 milhões de euros de dívidas a fornecedores, dos quais cerca de 11 mil euros eram de combustível e o restante de "outros bens e serviços", segundo informação disponibilizada no seu site.

Este valor em dívida foi contabilizado antes do início da época mais crítica de incêndios florestais, que se iniciou a 01 de Julho. A EMA participou no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais com os nove helicópteros da sua frota e os restantes meios definidos pela ANPC através do regime de aluguer.

A EMA refere que os seus helicópteros realizaram, desde 15 de Maio deste ano, 1497 voos, 3235 aterragens e descarregaram 14308 baldes, num total de cerca de 38,2 milhões de litro de água.

Além de participar no combate aos incêndios, a EMA está também ao serviço das forças e serviços de segurança, protecção e socorro do MAI, como PSP, GNR, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

No ano passado, os helicópteros da EMA estiveram nas operações de segurança da visita do papa Bento XVI a Portugal e na cimeira da NATO.

Segundo o relatório de gestão e contas de 2010, o presidente e os dois vogais do conselho de administração da Empresa de Meios Aéreos têm um rendimento anual bruto de 281400 euros.

A EMA foi criada em 2007 pelo anterior Governo socialista com o objectivo de dotar o Estado português de um dispositivo permanente de meios aéreos para a prossecução das missões públicas realizadas pelos diversos organismos do MAI, com destaque para a missão primária de prevenção e combate a incêndios florestais.

ver mais vídeos