O Jogo ao Vivo

Sociedade

Guterres acompanha com "profunda tristeza" o aumento do desemprego

Guterres acompanha com "profunda tristeza" o aumento do desemprego

O Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, disse, esta sexta-feira, em Paredes, acompanhar com "profunda tristeza" o aumento do desemprego em Portugal, mas sublinhou a importância de o país "viver em paz"

"Mesmo com todas as nossas dificuldades, com todos os nossos problemas, tem de haver no nosso coração espaço para a solidariedade com toda essa gente [refugiados] que sofre ainda muito mais do que nós", afirmou António Guterres.

O Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) falava aos jornalistas a propósito das receitas que vão resultar de um leilão de 11 cadeiras desenhadas por designers internacionais e produzidas em Paredes, agendado para esta sexta-feira em Lisboa, numa iniciativa da Câmara de Paredes, no âmbito do projeto "Duets".

O dinheiro angariado reverterá para o ACNUR, anunciando-se que possa ajudar, segundo António Guterres, "os que estão a sofrer dramaticamente na Sérvia, no Congo e no Sudão".

"Ver o município, que tem as suas dificuldades e os seus problemas, tão apostado no apoio na educação e ao mesmo tempo com a consciência social de apoiar uma causa tão nobre à escala mundial, é algo que verdadeiramente nos toca no coração", admitiu.

Após a cerimónia de inauguração de um centro escolar em Paredes, António Guterres elogiou o investimento da autarquia local, de vários milhões de euros, na construção de novas escolas.

"Independentemente de tudo o resto que é preciso fazer, é a educação a base de todas as condições que podem permitir a um país como o nosso ultrapassar as presentes dificuldades", afirmou.

De novo sobre a situação atual do país, o antigo primeiro-ministro socialista lamentou que haja "muita gente a perder o emprego e a ver os seus rendimentos diminuir".

Apesar disso, António Guterres mostrou-se convicto de que Portugal será capaz de "ultrapassar as dificuldades", recordando que, em oito séculos e meio de história, "o país já viveu outros momentos difíceis".

"A sociedade civil portuguesa tem demonstrado uma enorme capacidade de responder às mais prementes necessidades dos vizinhos, dos amigos e das pessoas da mesma comunidade. Temos uma larga tradição de solidariedade e ela tem-se manifestado de forma admirável por parte da sociedade civil nos últimos anos", acrescentou.

António Guterres inaugurou hoje o centro escolar de Sobreira, no sul do concelho de Paredes, um equipamento com capacidade para 351 alunos e que custou 3,1 milhões de euros.

Várias novas escolas de Paredes têm sido inauguradas, a convite da autarquia, por antigos chefes do Estado ou do Governo, como Mário Soares, José Ramos-Horta, Francisco Pinto Balsemão e Pedro Santana Lopes.