Sociedade

"Há profissionais da pobreza em Portugal", alerta Isabel Jonet

"Há profissionais da pobreza em Portugal", alerta Isabel Jonet

A presidente da Federação Europeia dos Bancos Alimentares, Isabel Jonet, alertou quinta-feira, em Fátima, para a existência dos "profissionais da pobreza" em Portugal, que fazem da mendicidade um modo de vida, e apelou ao reforço da cooperação entre as instituições de apoio social para combater este flagelo, que chega a ser transmitido de geração em geração.

"Em Portugal há aquilo a que chamamos a transmissão intergeracional da pobreza e temos que quebrar com essa transmissão. Há profissionais da pobreza habituados a andar de mão estendida, sem qualquer preocupação em mudar, e as instituições, por mais assistencialistas que sejam, têm que fazer o acompanhamento e a supervisão, para que se quebrem os ciclos de pobreza. Ou seja, quando se ajuda uma família pobre, deve-se procurar que essa família queira deixar de ser pobre e não encare a assistência como uma forma de vida", afirmou a dirigente, no final da conferência de encerramento do 29.OºEncontro da Pastoral Social.

Segundo Isabel Jonet, a pobreza no nosso país atinge 20 por cento da população e exige que se combata "incessantemente" a apatia e a indiferença, quer das pessoas, quer das instituições. Ao mesmo tempo, requer menos voluntarismo e mais voluntariado, de forma estruturada.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa