Sociedade

Menina russa falou por telefone com "família" de Barcelos

Menina russa falou por telefone com "família" de Barcelos

A filha de Natália Zarubina, que recentemente regressou à pátria da mãe, a Rússia, conversou com Portugal por um telefone do correspondente da Ria-Novosti.

"Na quinta-feira, a cadela Lúcia, que Alexandra trouxe de Portugal, pariu cãezinhos. Ela compartilhou a feliz notícia com a família portuguesa, no seio da qual viveu vários anos", escreve a agência de notícias russa.

"Nasceram vários cãezinhos: três brancos, um preto e dois castanhos", disse Alexandra aos pais de acolhimento.

A menina, segundo a Ria-Novosti, disse que já queria informar o casal de acolhimento português na quinta-feira de que tinham nascidos os cães.

"A mãe não impediu a conversa", acrescenta a agência.

Citada pela Ria-Novosti, Natália Zarubina disse que João Pinheiro teria prometido, durante a conversa telefónica, que viria à Rússia para levar um dos cães.

"Isso é simplesmente uma artimanha para visitar a menina", declarou a mãe biológica da Alexandra, sublinhando que ela e a família estão contra semelhante encontro.

A agência russa informa também que a casa dos Zurabin foi visitada por "representantes da Segurança Social", sublinhando que eles consideraram "satisfatórias" as condições de vida da criança.

"As condições de vida da criança são satisfatórias. A maioria das pessoas nas aldeias vive assim", declarou Tatiana Denissova, chefe dos Serviços de Segurança Social da freguesia onde fica a casa dos Zarubin, depois da inspecção.

As assistentes sociais, informa a Ria-Novosti, recomendaram Natália "a encontrar emprego o mais rapidamente possível" e afirmaram que "os órgãos de informação devem deixar a família em paz para que a criança se possa adaptar".

Alexandra, de seis anos e filha de uma imigrante russa, estava à guarda de uma família de Barcelos, em Portugal, há quatro anos, mas uma decisão do Tribunal da Relação de Guimarães, confirmada pelo Supremo Tribunal de Justiça, determinou a sua entrega à mãe. O pai, ucraniano, vive actualmente em Espanha.

Na semana passada, a criança, que fala apenas português, passou a viver com a mãe e a avó numa cidade russa, a 350 quilómetros de Moscovo.