óbito

Morreu o capitão de Abril Vítor Alves

Morreu o capitão de Abril Vítor Alves

O antigo capitão de Abril Vítor Alves morreu hoje, domingo, durante a noite, no Hospital Militar, em Lisboa, vítima de doença prolongada.

A notícia foi avançada à Agência Lusa por Maria João Seixas, amiga e ex-colaboradora do antigo capitão de Abril.

"Devia ter 75 ou 76 anos e estava doente já há bastante tempo", afirmou Maria João Seixas, que trabalhou com Vítor Alves e de quem era "muito amiga".

"Era o meu capitão de Abril", confessou, acrescentando que corpo de Vítor Alves vai para a Capela da Academia Militar e que o funeral deverá realizar-se na segunda-feira.

Vítor Alves, conhecido como um dos capitães de Abril que fizeram a revolução de 1974 em Portugal, nasceu em Setembro de 1935 em Mafra, onde iniciou a vida escolar, e tinha a patente de coronel desde 2001.

Em 1974, juntamente com Otelo Saraiva de Carvalho e Vasco Lourenço, fez parte da comissão coordenadora e executiva do Movimento das Forças Armadas (MFA), tendo redigido o programa.

Foi o responsável pelo comunicado do MFA divulgado à população no 25 de Abril e substituiu Otelo Saraiva de Carvalho, a partir das 16 horas, no posto de comando da Pontinha, passando a coordenar o desenvolvimento da acção Pertenceu ao Conselho de Revolução, do qual foi porta-voz, e foi ministro dos II e III Governos provisórios.

Em 1982, foi nomeado conselheiro do então Presidente da República, Ramalho Eanes, ano em que passou à reserva como militar e foi extinto o Conselho da Revolução.

Matriculou-se na Escola do Exército em 1954 e passou à reforma em 1991.

Durante a vida militar, esteve colocado em várias unidades, incluindo no Ultramar em comissão de serviço, onde permaneceu 11 anos, em Moçambique e Angola.

Fez vários estágios e cursos militares e em 1969 foi-lhe atribuído o Prémio Governador-Geral de Angola pelo trabalho desenvolvido no campo das actividades socioeconómicas em prol das populações africanas.

Recebeu em Portugal vários louvores e condecorações, entre os quais a Medalha de Mérito Militar e a Medalha de Comportamento Exemplar de Prata.

Vítor Alves foi nomeado para o cargo de ministro sem pasta em 1974, tendo exercido essas funções até 1975.

Nessa qualidade foi responsável pelas pastas da Defesa Nacional e da Comunicação Social, tendo visto aprovada, por sua iniciativa, a primeira lei de imprensa pós-25 de Abril, que vigorou até 1999. Foi também porta-voz do Governo. Desempenhou funções de ministro da Educação e Investigação Científica em 1975 e 1976.

Uma década depois seria candidato independente pelo PRD às eleições legislativas (1985), à presidência da Câmara de Lisboa (1986) e ao Parlamento Europeu (1987).

Participou na fundação da Associação 25 de Abril e posteriormente no conselho de acompanhamento do ministro da Justiça (1997-2000).

Vítor Alves recebeu a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade (1983), entre muitas outras distinções dentro e fora de Portugal.

ver mais vídeos