Touradas

Movimento pela Abolição das Touradas admite referendo

Movimento pela Abolição das Touradas admite referendo

A realização de um referendo sobre o fim das touradas foi admitida pelo Movimento pela Abolição das Corridas de Touros, que ganhou a iniciativa "O meu movimento" e, por isso, reuniu com o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho.

"É uma questão que diz respeito a toda a sociedade, não é uma questão de esquerda ou direita, vegetarianos ou não vegetarianos, portistas, benfiquistas ou sportinguistas e eu não tenho qualquer problema. Faça-se um referendo e tire-se as dúvidas, não há problema nenhum nisso", afirmou Sérgio Caetano, do Movimento pela Abolição das Corridas de Touros.

Sérgio Caetano, que falava aos jornalistas depois de ter estado reunido com o primeiro-ministro durante hora e meia, assegurou que a abolição das touradas é defendida pela "esmagadora maioria dos portugueses" e desejou que o dia de hoje represente o "início de uma nova era" e "de uma evolução" de Portugal.

Ressalvando que tem muito respeito por aqueles que gostam de touradas, Sérgio Caetano congratulou-se com a audiência "extremamente positiva" que teve com o chefe do governo, apesar de admitir que Passos Coelho não tenha dado nenhuma garantia sobre a matéria.

"O primeiro-ministro não se comprometeu, obviamente, não estávamos à espera disso, com a abolição imediata das touradas em Portugal", disse, insistindo que há que respeitar a maioria. "Tenho a certeza absoluta de que as touradas vão acabar em Portugal, só não posso é dizer aqui o dia em que isso vai acontecer", acrescentou.

Ainda segundo Sérgio Caetano, a única promessa deixada na audiência partiu do secretário de Estado da Cultura, que garantiu que as associações de defesa dos animais serão convidadas para participar no processo de revisão do regulamento do espetáculo tauromáquico, o qual define regras e normas das touradas e "atualmente não tem em conta o bem-estar dos animais".

"O meu movimento" teve votação online

A iniciativa "O meu movimento" foi lançada a 9 de janeiro, quando o executivo inaugurou o novo Portal do Governo na Internet e apelou aos portugueses para criarem movimentos em defesa de uma causa nesta plataforma digital e assim terem "a oportunidade" de "participar no debate sobre o futuro do país", "fazendo-se ouvir por todos - e especialmente pelo seu Governo".

As causas foram votadas pelo cibernautas, através da rede social Facebook, e o vencedor foi este movimento que quer acabar com as corridas de touros, o qual conseguiu mais de 8000 votos.

Foram submetidos a votação 1008 movimentos, segundo a informação disponibilizada no Portal do Governo, e os sete mais votados "esgrimiram argumentos num debate na Escola Secundária Vergílio Ferreira, em Lisboa", a 16 de abril. A votação terminou a 20 de abril.

Os outros seis movimentos mais votados foram: "Em Defesa da educação visual e tecnológica", "Regulamentação da profissão psicomotricista", "A escola é para ensinar, a família educa", "Abolição da utilização de animais em circos", "Pelas tecnologias da informação e comunicação" e "Não tenho de emigrar para me formar".