habitação

Portugal é onde mais se morre devido ao frio

Portugal é onde mais se morre devido ao frio

Portugal é um dos países da União Europeia onde mais se morre por falta de condições de isolamento e aquecimento nas casas, conclui um estudo de especialistas da Universidade de Dublin que comparou 14 países europeus.

De acordo com a investigação, que analisa as potenciais causas da mortalidade no Inverno em 14 países europeus, "Portugal tem a maior taxa (28 %) de excesso de mortalidade no Inverno", seguido de Espanha e Irlanda, com 21%.

"As nossas casas não estão nada preparadas para enfrentar o frio (...)", disse Claudia Weigert, da Divisão de Saúde Ambiental da Direcção-Geral de Saúde (DGS). Claudia Weigert chamou ainda a atenção para a importância de avaliar a carga económica associada à habitação, explicando que os diversos problemas de saúde que as pessoas podem ter devido à má qualidade do ar interior e à falta de isolamento das casas resultam em baixas médicas com peso económico para o país.

A investigação, que foi publicada em 2003, aponta ainda "níveis exemplares" de eficiência térmica no interior das casas em países com Invernos rigorosos como a Finlândia e a Suécia, onde a totalidade das habitações têm vidros duplos e isolamento térmico nas coberturas, paredes e pisos. "Os países com climas mais temperados tendem a ter baixa eficiência térmica nas habitações e por isso é mais difícil manter estas casas quentes quando chega o Inverno", refere a investigação.

Aquando da publicação do estudo, apenas 6% das casas em Portugal tinham isolamento térmico nas paredes e coberturas e só 3% tinham vidros duplos.

Conteúdo Patrocinado