Sociedade

Região Norte foi a que mais habitantes perdeu em 2013

Região Norte foi a que mais habitantes perdeu em 2013

A região Norte, a mais populosa do país, foi a que mais habitantes perdeu em 2013, cerca de 22 mil, segundo as Estimativas da População Residente em Portugal divulgadas, esta segunda-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística.

De acordo com os dados do INE, o Norte (que tem 3,64 milhões de habitantes) perdeu 22039, contribuindo com quase 37% para a redução do número de residentes em Portugal, que em 2013, e face ao ano anterior, se cifrou em menos cerca de 60 mil pessoas.

No mesmo período, a região de Lisboa (que integra a Grande Lisboa e a Península de Setúbal), onde residem cerca de 2,8 milhões de pessoas, perdeu 10863 habitantes.

A terceira região mais populosa é o Centro, com 2,28 milhões de pessoas e que em 2013 perdeu, face a 2012, 17774 residentes, um valor semelhante ao verificado no ano anterior.

No Alentejo residiam menos 5393 pessoas em 2013 face ao ano anterior, no Algarve menos 2032 pessoas e na Região Autónoma da Madeira menos 1778.

Os Açores, onde residem cerca de 247 mil pessoas, são a única região portuguesa onde o número de habitantes se mantém estável: diminuiu 109 residentes em 2013 face ao ano anterior mas em 2012 tinha aumentado 355 em relação a 2011, caso singular a nível nacional.

Para a redução do número de residentes em Portugal contribui o saldo natural (a relação entre o número de nascimentos e de óbitos) que em 2013 manteve valores negativos, a exemplo do saldo migratório, "uma vez que o número estimado de emigrantes voltou a aumentar", assinala o INE.

De acordo com os dados divulgados, o número de nascimentos com vida, de mães residentes em Portugal, voltou a diminuir em 2103 (82787, menos 7,9% do que em 2012), enquanto o número de óbitos de residentes em Portugal foi de 106543, menos um por cento do que em 2012 (107598).