Turismo

Taxistas iniciam formação para melhor acolher turistas

Taxistas iniciam formação para melhor acolher turistas

Mais de 100 motoristas de táxi estão inscritos no projeto 'Welcome by Taxi', do Turismo de Portugal, que lhes dará formação gratuita de inglês e técnicas de acolhimento de visitantes.

As aulas começaram na segunda-feira ao fim da tarde em Lisboa, Estoril e Faro e iniciar-se-ão a 16 de abril no Porto, onde, a par de Lisboa, todas as vagas foram preenchidas e há já lista de espera.

No Estoril, 21 taxistas - 20 homens e uma mulher - marcaram presença na primeira aula, dada pela formadora Cláudia Demétrio, licenciada em História e mestre em Museologia com experiência em visitas guiadas, que lhes ensinará, num módulo de 25 horas, a arte de bem acolher quem vem de fora.

"Sendo uma formação dirigida a motoristas de táxi, tem como objetivo principal permitir a estas pessoas que, à partida, são a imagem, são aquelas que têm um primeiro contacto com os turistas quando eles chegam a Portugal, nomeadamente à cidade de Lisboa e aos seus arredores, terem uma formação de acolhimento, de atendimento, e também um pouco de informação turística", disse à Lusa a formadora.

Além de preparar os taxistas para serem hospitaleiros e de lhes fornecer conhecimentos da língua inglesa (noutro módulo de 25 horas), o projeto 'Welcome by Taxi' visa também que eles possam identificar aos visitantes as principais atrações turísticas das cidades onde trabalham e aconselhá-los quanto a museus, espaços de animação, restaurantes, cafés, esplanadas e jardins.

Carlos Salgueiro, de 53 anos, taxista em part-time há 12 anos e a tempo inteiro há cerca de quatro, inscreveu-se nesta ação de formação porque a considera "uma mais-valia".

"Num país como o nosso, virado para o turismo -- que é uma atividade que tem de ser explorada -, penso que nós, como taxistas, temos de ter uma certa formação e estas atividades deviam ser mais frequentes", defendeu.

"Eu venho na expectativa, não sei o que poderei aprender... Tenho alguns conhecimentos de inglês e penso complementar os conhecimentos que tenho de forma a poder receber turistas e de poder encaminhá-los -- que é uma coisa que eu já tento fazer, à minha maneira, sem ter formação nenhuma", acrescentou.

A única mulher taxista inscrita chama-se Helena Peixoto, tem 46 anos e veio fazer esta formação por entender que lhe "pode ser útil no futuro".

Destas aulas, espera levar "mais conhecimento e poder oferecer a quem nos visita um melhor acolhimento".

Em Portugal há 12 anos e taxista há apenas dois meses, o ucraniano Yuri, de 41 anos, disse à Lusa que se inscreveu neste projeto porque quer "melhorar" na profissão.

"Gosto de fazer o serviço como deve ser. Já apanhei clientes ingleses e não conseguia contactar com eles, só com mímica... Acho que esta formação dá melhor para trabalhar, para contactar com gente", explicou.

Completadas as 50 horas dos dois módulos, os motoristas de táxi terão automaticamente acesso a certificação, com o selo de qualidade 'Welcome by Taxi', e a frequência desta ação deverá ser reconhecida para efeitos de renovação do Certificado de Aptidão Profissional pelo Instituto de Mobilidade e dos Transportes Terrestres, segundo o Instituto de Turismo de Portugal.

Depois desta fase de arranque, o projeto deverá ser alargado a todo o país, através das 16 escolas de Hotelaria e Turismo, onde será dada a formação.