bacalhau

Uso de fosfatos no bacalhau não tem vantagens para o consumidor

Uso de fosfatos no bacalhau não tem vantagens para o consumidor

A DECO defendeu, esta quarta-feira, que usar fosfatos na salga de bacalhau é desnecessário e não traz vantagens ao consumidor, e exigiu explicações ao Governo por ter apoiado a União Europeia a autorizar o uso daquele aditivo.

A associação de defesa dos consumidores questiona "quem fica a ganhar com esta medida", revelando-se contra "aditivos desnecessários" e defendendo que as decisões da União Europeia devem ser tomadas numa base científica e política, e de forma transparente e justificada.

A utilização de fosfatos no bacalhau, a partir de janeiro, foi aprovada há uma semana pelo Comité Permanente da Cadeia Alimentar e Saúde Animal da União Europeia, com os votos contra da Croácia e França.

Contrariando a posição anteriormente tomada, Portugal acabou por votar a favor da proposta, mas sem dar ainda explicações.

A DECO reconhece não estar em causa um problema de saúde pública, mas salienta que os fosfatos "podem alterar" o aspeto, a textura e o sabor do bacalhau salgado seco.

"Os portugueses estão perfeitamente identificados com a sua tipicidade e não procuram um peixe com características organolépticas diferentes, ou seja, com uma cor mais pálida, razão avançada para a incorporação de fosfatos, outra textura ou paladar", acrescenta.

A introdução de polifosfatos no bacalhau da União Europeia prevê exceções para Portugal, segundo esclareceu no início deste mês o Governo, explicando que vai continuar a ser também fornecido peixe sem aqueles aditivos.