idosos

Violência doméstica contra idosos aumentou 76% em dois anos

Violência doméstica contra idosos aumentou 76% em dois anos

Mais de 11300 idosos, a grande maioria mulheres, foram vítimas de violência doméstica nos últimos 12 anos, um número que tem vindo a aumentar todos os anos, revelam as estatísticas da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.

Em 2010, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) registou 356 crimes de violência doméstica contra idosos, número que subiu para 1479 em 2012, um aumento de quase 76%.

O relatório estatístico, publicado no site da associação refere que, entre 2000 e 2012, foram registados 14139 factos criminosos contra idosos, que levaram à abertura de 7058 processos de "apoio de pessoas idosas vítimas de crime e de violência", um crescimento de 179% em 12 anos.

Os dados da APAV indicam que 11334 idosos foram vítimas de violência doméstica (80,2%), 1733 foram alvo de "crimes contra as pessoas (12,3%) e 946 vítimas de crimes contra o património (6,7%).

Em 39% das situações de violência doméstica reportadas à APAV, os agressores eram os próprios filhos, e em 26,9% dos casos existia uma relação conjugal (cônjuge ou companheiro).

Dos 14139 factos criminosos, 3625 referem-se a maus-tratos psíquicos contra idosos, seguindo-se os maus-tratos físicos (3210), as ameaças ou coação (2191) e a difamação e injúrias (1367).

A APAV registou ainda 120 casos de violação no domicílio, 42 situações de violação, 28 de abuso sexual, 17 casos de homicídio tentado e cinco homicídios.

As mulheres têm vindo a representar a maior percentagem de pessoas idosas vítimas de crime neste período: 82,2%. A maioria (53,3%) tinha idades entre os 65 e os 75 anos e 28,6% entre os 76 e os 85 anos.

Já os agressores são maioritariamente homens (68%), referem os dados, acrescentando que 22% tinham 65 ou mais anos, 11% tinham idades entre os 36 e os 45 anos e 8,1% entre os 46 e 55 anos.

Quarenta e dois agressores (0,6%) tinham idades até aos 17 anos e 150 (2,1%) tinham entre os 18 e os 25 anos.