Sociedade

Irão acredita que protestos são o fim do capitalismo

Irão acredita que protestos são o fim do capitalismo

O movimento anti-Wall Street nos EUA vai "deitar por terra o sistema capitalista ocidental", afirmou, esta quarta-feira, o guia supremo iraniano, o ayatollah Ali Khamenei, durante um discurso transmitido pela televisão estatal.

"O movimento anti-Wall Street é muito importante. Eles (as autoridades e os média americanos) tentaram minimizar a sua dimensão (...), mas a corrupção do sistema capitalista está, a partir de agora, visível a toda a população. Um dia, este movimento deitará por terra o sistema capitalista ocidental" , que está "num impasse total", referiu Khamenei perante uma multidão concentrada em Kermanshah, onde esteve de visita.

"As guerras no Iraque e no Afeganistão foram lançadas pelo 1% que governa os EUA, mas são os restantes 99% da população que pagam o custo", sublinhou, referindo-se ao slogan dos manifestantes anti-Wall Street que gritam "nós somos os 99%".

Os manifestantes anti-Wall Street não desarmam e organizaram, nesta terça-feira, uma "marcha dos milionários" em Nova Iorque, enquanto as interpelações ocorriam em Boston e Washington.

Nestes últimos dias, vários órgãos de informação e responsáveis iranianos consideraram que o movimento anti-Wall Street é um prenúncio de uma "Primavera americana", a exemplo da "Primavera árabe" que gerou mudanças em diversos regimes autocráticos na região.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG