Morte

Jovem com tumor adia data da morte por ainda se sentir "bem"

Jovem com tumor adia data da morte por ainda se sentir "bem"

Brittany Maynard tornou-se notícia nos Estados Unidos por decidir recorrer ao suicídio assistido, previsto para 1 de novembro, devido a um grave tumor cerebral. No entanto, a jovem de 29 anos anunciou que ainda se sente "bem, com alegria" e por isso adiou a data da sua morte.

"Sinto-me suficientemente bem, ainda tenho alegria, ainda consigo rir com a minha família e com os meus amigos, por isso creio que este não é o momento adequado", explicou Brittany Maynard, num vídeo publicado na internet.

A jovem de 29 anos diz que esse dia chegará, porque se sente cada vez mais doente, devido a um cancro agressivo e incurável que lhe foi detetado no cérebro. O terrível diagnóstico chegou em janeiro, um ano depois de casar, quando foi ao médico a queixar-se de fortes dores de cabeça. Em abril, deram-lhe seis meses ou menos de vida.

PUB

A decisão de avançar com o suicídio assistido motivou o debate sobre este assunto nos Estados Unidos.

O suicídio assistido está legalmente previsto em cinco Estados norte-americanos (Washington, Montana, Novo México, Vermont e Oregão), por isso, Brittany teve de deixar Oakland, na Califórnia, onde morava, e mudar-se com a família para o Estado vizinho de Orégão, onde a prática é permitida. Para promover o "direito a uma morte digna" em todo o país, a jovem criou o Fundo Brittany Maynard.

"Quando me criticam porque não espero mais tempo (...) sofro. Porque eu arrisco todos os dias, de manhã, ao levantar-me", salienta. E exemplifica, com a voz trémula, um momento, há duas semanas, quando lhe custou a reconhecer o marido.

O cancro avançou rapidamente e os oncologistas informaram a jovem que o tumor lhe irá causar, cada vez mais, dor muito forte e prolongada.

Brittany decidiu recorrer ao suicídio assistido para evitar maior sofrimento, para si e para a sua família.

"Se chegar a dia 2 de novembro e tiver morrido, espero que a minha família continue orgulhosa de mim pelas decisões que tomei. Se estiver viva, que continuemos em frente como uma família e que esta decisão chegue depois", disse.

Há dois dias, a jovem divulgou imagens de uma visita ao Grand Canyon, no Colorado. Era, segundo revelou a própria, o seu último desejo antes de morrer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG