Chuva e vento

Madrugada relativamente calma e manhã a recuperar após temporal

Madrugada relativamente calma e manhã a recuperar após temporal

A madrugada de quinta-feira foi relativamente calma, depois do mau tempo que provocou na quarta-feira, inundações, quedas de árvores, cortes na electricidade e problemas no trânsito de norte a sul de Portugal continental.

O mau tempo que se fez sentir na quarta-feira, no Porto, provocou dezenas de inundações em Lavra, Matosinhos, onde várias artérias se transformaram em autênticas ribeiras a partir das 17 horas.

Foi uma noite de muito trabalho para os Sapadores do Porto. No total, foram chamados a sair do quartel 65 vezes, soube o JN, mas sempre por ocorrências de pouca gravidade.

Desentupimento de sarjetas, remoção de materiais que se soltaram com o mau tempo -, azulejos, chapas, toldos, reclames publicitários -, e o corte de uma árvore foram as ocorrências registadas pelos Sapadores do Porto, durante a noite de ontem e a madrugada desta quinta-feira.

Em Gaia, segundo fonte dos Sapadores, o dia de trabalho "foi muito intenso" devido ao mau tempo, que também provocou algumas inundações, "em caixas de elevadores e terraços".

Os bombeiros de Gaia receberam também chamadas para queda de árvores, desentupimento de sarjetas e retirada de taipais.

Na Póvoa de Varzim, os comerciantes reclamam "milhares de euros de prejuízos", mas, para já, todos estão empenhados em retirar a água, a lama e os resíduos do interior dos estabelecimentos.

Em Peniche, a queda de uma chaminé na cobertura de uma casa vizinha obrigou ao realojamento de uma mulher de 87 anos.

Contactados pela agência Lusa, tanto a Autoridade Nacional de Protecção Civil como o regimento de sapadores bombeiros de Lisboa indicaram não ter registos de ocorrências relevantes durante a madrugada.

Fonte da Lusoponte, contactada pela Lusa, revelou que como medida de precaução a velocidade máxima permitida na Ponte Vasco de Gama é de 90 quilómetros/hora, devido ao vento e à chuva forte. Na ponte 25 de Abril, de acordo com fonte da Lusoponte, não existe, esta manhã, qualquer tipo de condicionamento ao tráfego.

Na noite passada, um homem foi arrastado pelo caudal do rio Este, em Braga, quando tentava atravessar uma ponte submersa na zona da Ponte Nova, freguesia de Lomar. O corpo foi encontrado esta manhã.

No Alentejo, um operário de construção civil sofreu ferimentos ligeiros num desabamento de uma parede nas obras na Escola Secundária de Arraiolos. O mau tempo naquela região causou a queda de 18 árvores no distrito de Portalegre, com o maior número de ocorrências no concelho de Elvas.

Em Sobral da Adiça, Moura, a chuva que caiu intensamente fez transbordar a ribeira que atravessa a localidade, provocando inundações e obrigando à retirada de várias pessoas.

A Norte, na Trofa, um motociclista foi arrastado, por breves momentos, pelas águas, quando o caudal da Ribeira de Guidões subiu acima do tabuleiro de uma ponte.

Em Santarém, Portalegre, Braga, Viana do Castelo e Maia, diversas localidades estiveram sem luz durante várias horas devido a avarias resultantes de linhas partidas e postes danificados.

O trânsito na autoestrada A3, na zona de Martim, entre Braga Sul e Braga Oeste, esteve cortado, assim como na A28, no sentido Norte-Sul, junto a Árvore, Vila do Conde, onde um acidente com quatro viaturas provocou um ferido ligeiro.

Em Lisboa, a circulação nas pontes 25 de Abril e Vasco da Gama esteve temporariamente interdita a motociclos e a pesados com cobertura de lona.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG