Sociedade

Administração da RTP diz ser "irracional" acabar com Centro de Produção doo Norte

Administração da RTP diz ser "irracional" acabar com Centro de Produção doo Norte

A Administração da RTP classificou de "irracional" o desmantelamento do centro de produção da RTP do Porto e anunciou a realização dum novo programa de entretenimento ao sábado a partir do norte, disse o presidente da distrital do PSD/Porto.

Virgílio Macedo pediu uma audiência ao CA da RTP para saber o futuro do centro de produção da RTP Porto, pois a administração da RTP confirmou, sexta-feira, que ia passar a produzir em Lisboa o programa televisivo matinal "Praça da Alegria".

"O Conselho de Administração (CA) da RTP disse-nos claramente que na sua ótica seria, economicamente, irracional proceder a qualquer tipo de desmantelamento dessa estrutura, que é recheada de excelentes profissionais e que tem excelentes rácios de eficiência", declarou à Lusa Virgílio Macedo, depois de ter reunido com o CA da RTP.

O presidente da Distrital do PSD/Porto referiu que o CA da RTP lhe transmitiu que "não existe nenhum plano para o esvaziamento das funções até agora desempenhadas pelo centro de produção do Norte da RTP".

"Penso que nos foi transmitido de forma genuína que o centro de produção da RTP do Porto é reconhecido pelo CA da RTP como um centro de excelência na produção de programa de entretenimento e de informação dentro da RTP" e que também tem sido "um centro de criação de novos talentos ao serviço das diversas televisões", acrescentou.

A deslocalização do programa 'Praça da Alegria' tem a ver com "questões de ajustamento global da programação, mas paralelamente a esta deslocalização vai "de imediato começar a ser realizado um novo programa de entretenimento ao sábado também do Porto", informou ainda Virgílio Macedo.

Virgílio Macedo referiu ainda que na reunião lhe foi dito que existe uma "forte vontade" da parte da administração da RTP em utilizar a capacidade instalada no centro de produção do Porto para a produção de "outro género de programas" com conteúdos "muito mais diversificados" e sem nunca esquecer as "questões de proximidade".

Questionado pela Lusa sobre se previam despedimentos na RTP Porto, o social-democrata adiantou que lhe foi transmitido pela administração da RTP que "isso" não era uma prioridade, nem era isso que estava "em causa".

"Há uma reorganização ao nível de toda a RTP, mas se houver despedimentos não vão começar pelo Porto (...), a haver no âmbito da RTP, poderão começar por outros lugares, nomeadamente por Lisboa".

O vice-presidente do PSD/Porto, Firmino Pereira, classificou, por seu turno, de "excesso do centralismo do poder em Lisboa" a decisão de passar a produzir em Lisboa o programa televisivo matinal "Praça da Alegria".

"Ninguém, quer pela história, quer pelo serviço público prestado, pode pactuar com a tentativa de destruição do centro de produção da RTP Porto", disse, em entrevista telefónica à Lusa Firmino Pereira, também vice-presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, cidade onde estão a redação da RTP no Porto.

"A RTP Porto pelos conteúdos que produz faz parte da democratização da comunicação social e ninguém pode ver com bons olhos o acabar ou reduzir a produção de programas que são hoje referência culturais e físicas do norte e do país", declarou, lamentado que ao fim de 38 anos de Democracia, um dos "fatores de desequilíbrio político do país continua a ser o excesso do centralismo do poder em Lisboa".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG