Sociedade

Administração do jornal "Público" acaba com "Inimigo Público"

Administração do jornal "Público" acaba com "Inimigo Público"

A administração do jornal "Público" já decidiu acabar com o "Inimigo Público", mas a direção deste suplemento humorístico está a tentar apresentar alternativas, disse Luís Pedro Nunes.

O "Inimigo Público" poderá deixar de ser publicado semanalmente com o jornal "Público", mas a direção do suplemento humorístico está a tentar apresentar uma contraproposta, disse à Lusa Luís Pedro Nunes.

"Há uma decisão da administração [do Público, que é detido pela Sonaecom] para terminar. Estamos a tentar arranjar uma contraproposta, que pode passar por um patrocinador", disse o diretor do suplemento humorístico, "Inimigo Público".

O jornal "Público" avançou com uma reestruturação, no qual está previsto o despedimento de 48 trabalhadores.

"Estamos a ver com o 'Público' algumas possibilidades, com a reestruturação era natural que se reequacionasse" o projeto.

"Há algumas possibilidades comerciais. Se não for viável [continuar] com o 'Público' esta parceria de nove anos, não vamos baixar os braços", acrescentou Luís Pedro Nunes.

O diretor sublinhou que o "Inimigo Público", que sai à sexta-feira, "é o suplemento mais lido do Público".

No Facebook, o título tem quase 100 mil seguidores, e recentemente havia o plano de "colocar o Inimigo 'Público' no iPad", num projeto que visa criar "uma edição de raiz" naquele 'tablet'.

"A marca é nossa", salientou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG