Sociedade

Director do jornal ABC defende redução dos jornalistas a metade

Director do jornal ABC defende redução dos jornalistas a metade

O director do diário espanhol ABC, Bieito Rubido, considerou, esta quinta-feira, que metade dos órgãos de comunicação social do país deveriam desaparecer porque o sector está sobredimensionado, defendendo também o fim das faculdades de jornalismo.

Intervindo no Fórum da Nova Economia, Rubido explicou que o sector da comunicação social atravessa actualmente uma crise económica, institucional e de valores, está sobredimensionado e em risco de "cair no abismo" se não houver "uma grande transformação".

"Em Espanha sobram metade dos jornais, das emissoras de rádio, das cadeias de televisão e, como tal sobramos metade dos jornalistas, dos profissionais que se dedicam à informação", afirmou.

Segundo Rubido, Espanha tem actualmente cerca de 120 títulos, muito acima da média europeia de 72 títulos.

Citando "dados desmoralizadores" para o sector, Rubido afirmou que o sector da comunicação social espanhol facturou em 2007 cerca de 1.900 milhões de euros, valor que caiu 40 por cento para 2010, quando a facturação foi apenas de 1.120 milhões de euros.

"Nesse período, nos Estados Unidos desapareceram 160 títulos e em Espanha apenas dois ou três porque Espanha comete a perversão das instituições públicas, que mantém muitos jornais, sobretudo regionais", afirmou.

"Temos um sector absolutamente desequilibrado, que padece da crise económica, mas também da crise do seu tamanho", disse, afirmando que no futuro sobreviverão "dois ou três jornais".

Outras Notícias