Sociedade

Elísio Oliveira é o novo diretor do Centro de Produção do Norte da RTP

Elísio Oliveira é o novo diretor do Centro de Produção do Norte da RTP

Elísio Oliveira como novo diretor e autonomia financeira para a RTP-Porto. Estas foram as principais decisões da administração da estação pública anunciadas esta sexta-feira aos trabalhadores do Centro de Produção do Norte. Nesse encontro, Alberto da Ponte adiantou pormenores acerca da transferência da produção do canal 2 para os estúdios do Monte da Virgem, Gaia.

Até aqui consultor da RTP, o novo responsável pelo Centro de Produção do Norte (CPN) pertence aos quadros da empresa há 30 anos e chegou a desempenhar funções na Entidade Reguladora para a Comunicação Social, à época de Azeredo Lopes. Vai ocupar o lugar de Artur Pimenta Alves, que será responsável por um departamento na área da inovação tecnológica.

"O Centro de Produção do Norte vai ter autonomia financeira e vai ter uma conta de exploração", confirmou ao JN o administrador da RTP. Sobre o futuro da estação pública - concessão ou venda parcial -, Alberto da Ponte disse-nos: "Só posso fazer votos que essa decisão seja tomada o mais rapidamente possível, para termos todos um objetivo claro que possa consubstanciar uma estratégia que está delineada e que considero universal".

O dossiê RTP deve ser levado a uma das próximas reuniões do Conselho de Ministros. Para já, Alberto da Ponte deixa a garantia de que as medidas agora anunciadas sobre a RTP_2 foram tomadas "em perfeita e estreita consonância com o ministro da tutela", ou seja, Miguel Relvas.

Na reunião desta sexta-feira, o administrador anunciou também uma série de conteúdos que estão previstos para a RTP 2. O programa "Sociedade civil" irá manter-se no canal, agora com apresentação de Eduarda Maio, depois de Fernanda Freitas ter anunciado a saída. Por outro lado, o jornal "24 Horas" - produzido pelo CPN para a RTP_Informação -, será reformulado em termos editoriais e passa a ser transmitido também no Canal 2, com apresentação de João Fernando Ramos.

A transferência da produção da RTP_2 para o Porto seguiu-se à transferência do programa "Praça da alegria" para Lisboa. Com as novas medidas, o estúdio C, onde era feita essa rubrica, passará de uma ocupação semanal de 25 para 55 horas.

Fonte da Subcomissão de Trabalhadores da RTP-Porto referiu ao JN que esta mudança é entendida como "um desafio". Por outro lado, sublinhou que as garantias da tutela significam que a RTP 2 não está em causa. "Se o canal 2 desaparecesse, isto era uma mão cheia de nada", concluiu.

Jorge gabriel vai fazer programa ao sábado

A dupla de apresentadores do "Praça da alegria", Jorge Gabriel e Sónia Araújo, vai estar à frente de um programa novo na RTP, apurou o JN. Intitulado "Aqui Portugal", a nova proposta será produzida pela RTP-Porto e estender-se-á ao longo de quatro horas durante as tardes de sábado, no canal 1.

"É uma ótima notícia que me está a dar", reagiu o apresentador esta sexta-feira, ao início da noite. Jorge Gabriel admitiu ao JN que "sabia apenas que ia apresentar um programa ao sábado à tarde". "A mim o que me interessa é colaborar com a RTP, quer seja fazendo três horas por dia, quer seja fazendo um programa ao sábado", comentou o apresentador.

"Se a RTP acha que agora posso ser mais útil uma vez por semana quatro horas por sábado, assim seja - eu gosto é de me sentir útil", disse ainda, bem disposto.

Questionado se sentia algum tipo de mágoa pelo facto de deixar de apresentar o programa matinal e ver o "Praça da alegria" ser produzido em Lisboa, o apresentador foi taxativo: "Não tenho mágoas".

"Sou um funcionário da RTP e até apresento a meteorologia se a RTP assim o entender", comentou ainda. Há cerca de duas semanas, Jorge Gabriel esteve presente na vigília a favor da produção do programa nos estúdios da RTP no Monte da Virgem, em Gaia, tendo aí dado mostras de uma enorme tristeza.

"São milhares os idosos solitários que nos assumem como a sua única família", disse, na altura, visivelmente emocionado. Na mesma noite, o apresentador que partilha o programa com Sónia Araújo, deixou ainda um recado: "Os que julgam que o Norte vai ficar mais coxo, menos empreendedor e menos empenhado podem desenganar-se".

*com Cristiano Pereira