Sociedade

Relvas anuncia emissão de dívida de 42 milhões para financiar plano de "transformação" da RTP

Relvas anuncia emissão de dívida de 42 milhões para financiar plano de "transformação" da RTP

O ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares revelou, esta terça-feira, que o Governo irá recorrer a uma operação de emissão de dívida na ordem dos 42 milhões de euros junto da banca comercial para financiar um plano de "transformação da RTP".

Miguel Relvas, hoje presente na comissão parlamentar para a Ética, para a Cidadania e para a Comunicação, ao abrigo de um requerimento potestativo do Partido Socialista sobre o futuro da RTP e do serviço público de televisão, reiterou que "a RTP tem custos insustentáveis para os portugueses" e por outro lado, "não há condições de mercado" para o Executivo proceder a uma privatização.

Assim, "a RTP necessita de um plano de transformação, para que o serviço público de rádio e televisão possa continuar a ter um papel de referência na sociedade portuguesa".

Relvas deixou claro que "2013 será o último ano em que a RTP terá indemnização compensatória do Orçamento do Estado" e que "a partir de 2014, a RTP terá que se bastar com a contribuição do Audiovisual (CAV)", uma compensação na ordem dos 140 milhões de euros, e com as receitas publicitárias.

O Governo estima que o teto das despesas operacionais da empresa será de 180 milhões de euros, "menos um terço do que em 2011", disse Relvas.

O ministro acrescentou, por outro lado, que a empresa necessita de encontrar "um parceiro tecnológico" para levar a cabo o "plano de modernização", ou de "transformação" que inicia. O governante nunca utilizou o termo "reestruturação", aquele que a lei prevê e abre as portas do conselho de administração da empresa à comissão de trabalhadores para participação neste tipo de processos.