Referendo

Fusão das redações da RTP/RDP ameaça autonomia

Fusão das redações da RTP/RDP ameaça autonomia

Mais de 80% dos jornalistas da Radiodifusão Pública (RDP) consideram que a proposta de trabalharem também para a televisão ameaça a autonomia editorial da rádio e reduz a diversidade de informação no serviço público.

De acordo com o resultado do referendo realizado ontem nas redações da RDP em Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e entre correspondentes, em que participaram 91 jornalistas de um universo de 120, 76,6% defendem que a fusão das redações de rádio e televisão pública prejudica a sua prestação profissional.

Na segunda questão, relativa à ameaça que a fusão constitui para a autonomia editorial da rádio, 88,8% dos jornalistas admitiram esse receio, de acordo com os dados divulgados pelo conselho de redação da rádio pública.

Por seu lado, 83,3% dos jornalistas da rádio público defendem que essa proposta da administração de convergência de redações iria reduzir a diversidade de informação no serviço público, quer de rádio quer de televisão.

A realização do referendo foi aprovada em plenário de urgência no final de abril, por larga maioria, com um voto contra e três abstenções. Nessa altura, os jornalistas da RTP demonstraram "grandes reservas" quanto à "convergência de redações da rádio e da televisão", temendo que este "caminho organizacional" abra a "possibilidade de despedimentos futuros".