Sociedade

"Paparazzo" italiano aceita extradição

"Paparazzo" italiano aceita extradição

O "paparazzo" italiano Fabrizio Corona, detido na quarta-feira em Portugal, aceitou, quinta-feira, ser extraditado para Itália, o que deverá acontecer na sexta-feira, disse do Tribunal da Relação de Lisboa.

A mesma fonte indicou que Fabrizio Corona, condenado a cinco anos de prisão por extorsão, ficará detido nas instalações anexas à Polícia Judiciária até ser entregue às autoridades italianas, o que deverá acontecer "na sexta-feira".

Depois de cerca de seis horas a ser ouvido por uma juiza do Tribunal da Relação de Lisboa (TRL), o fotógrafo italiano aceitou ser extraditado, "tendo o tribunal determinado a sua entrega imediata" às autoridades italianas, explicou a fonte à agência Lusa.

Fabrizio Corona, condenado por extorsão em Itália e que tinha fugido do país, foi detido pela PJ na quarta-feira em Queluz.

O fotógrafo italiano foi condenado em janeiro de 2012 pelo crime de extorsão qualificada, depois de tentar extorquir 25 mil euros ao futebolista internacional francês David Trezeguet, sob a ameaça de divulgar uma foto comprometedora do jogador com uma mulher.

Na passada sexta-feira, a condenação aplicada pela justiça italiana transitou em julgado.

O fotógrafo já tinha sido condenado a 18 meses de prisão por extorsão a outros jogadores de futebol, os italianos Adriano e Francesco Coco.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG